quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Complexo.

Cena de O Sorriso de Mona Lisa

Em alguns momentos é tão fácil sentir-se feliz. Apenas sentada agora, na minha cama, enquanto a lua, enorme e brilhante, ilumina meu quarto através da janela aberta, eu posso pensar em algo parecido com felicidade. É tão fácil, desse jeito.

Mas então você acorda e pensa que aquilo foi só um sonho. E todo o mundo real vem à tona, e é difícil perceber uma brecha para se lembrar da lua, da alegria, e essas coisas que fazem sorrir.

Sorrir. Eu acho que ou tenho sérios problemas com mudança de humor, ou isso é algo normal para todo mundo? Parar de sorrir do nada. Eu só sei que não esperava ouvir o nome dele novamente. Mas é incrível que quanto mais o passado esteja enterrado, mais vivo ele parece de repente. Eu gastei muito tempo cavando um buraco fundo na memória, esquecendo de tudo, inclusive do nome. Eu gastei tempo suficiente já, deletando, excluindo, deixando de ouvir músicas e evitando olhar para os lados. Fingi ser mais cega do que sou na realidade, para ter uma desculpa para uma culpa que não era minha.

Tem muito tempo já que não o vejo, mas ainda assim a menção do seu nome faz uma dor muito profunda surgir, e eu simplesmente não consigo controlar. Às vezes acho que é uma ferida incurável, não importa quantos sentimentos bons e vivos existam dentro de mim no momento. Para amenizar um pouco, eu olho pela janela, e deixo a lua me dizer algumas verdades boas.

Alguns nomes jamais deveriam ser ditos novamente.

39 comentários:

Sonebald disse...

oi, seu blog é bem legal,
www.eudevosaber.blogspot.com

Fernanda Alves disse...

as vezes acredito que só a lua é capaz de entender os corações apaixonados=)
e é por isso que ela me encanta.

M disse...

...E quantas coisas cabem num nome!

Yaas disse...

as vezes, nós conseguimos apoio pros sufocos apenas nas coisas simples... E sim, alguns nomes NUNCA deveriam ser ditos.
Beijos :*

Nina Fernandes disse...

Já outros são tão pouco mensionados.. =/

Késia disse...

(..Eu gastei tempo suficiente já, deletando, excluindo, deixando de ouvir músicas e evitando olhar para os lados. )

*Essa parte me chamou atenção, já vivi uma história muito parecida e lhe digo: viva tudo, um dia você vai sorrir novamente e ser feliz, e quando você diz que parece incurável, não diga isso, passe o tempo que passar isso vai curar.

Beijos :*

Lari Bernardi disse...

A lua realmente tá perfeita essa semana...

A Darsh, por que tudo é tão difícil, hein?
Existem nomes que deviam ser banidos da face da terra...

;*

Gabi disse...

Esquecer...talvez a melhor maneira de esquecer algo é colocar pra fora tudo o que se sente e depois abstrair e viver recomeçando!!! Talvez.... beijos

Giovanna disse...

"Tem muito tempo já que não o vejo, mas ainda assim a menção do seu nome faz uma dor muito profunda surgir, e eu simplesmente não consigo controlar."

É, pois é... :/

Fiore disse...

"Alguns nomes jamais deveriam ser ditos novamente."

Vamos aos fatos.
Algumas pessoas não deveriam aparecer nunca mais.
Aliás, mencionar nome de certas pessoas só as atraem!
Pqp...

como eu sei o que é td isso que vc descreve aí!
Como eu sei! =/

Adorei o texto!
pra variar :D

Varda disse...

O sorriso de Monalisa é lindooo

Nina disse...

É...parece que hoje foi o dia em que todos os blogs me lembraram de que tem pessoas que não devem ser lembradas.
Esse sorisso que se apaga é normal sim, eu acho.

Beijo

Anônimo disse...

Curioso:
eu vi uma Darsh em outro lugar, zombeteira, divertida, desmisticadora - e no seu próprio Blog vejo uma Darsh sensível e meio introspectiva.
Fiquei intrigado.
Onde foi passear o bom humor dark-anárquico dela?

Anôn.

Cαгolinα disse...

Já outros são tão pouco mensionados.. [2]

eu ia dizer exatamente isso..

coração apaixonado é cego.

Brasil. disse...

"Eu gastei muito tempo cavando um buraco fundo na memória, esquecendo de tudo, inclusive do nome."

Mas é só por um acaso eu esbarrar com ele por esse caminho longo da vida, que eu me machuco, machuco só de lembrar que eu ainda guardo amores por ele e ele não.

Brasil. disse...

AAAH. E sobre a banda, é a banda dos meus amigos :D E aquela é a música nova deles. Beijos.

Anônimo disse...

Errata anônima:

Onde se lê "desmiticadora", leia-se "sesmitificadora", evidentemente.

Anôn.

caixadevinis disse...

Alguns nomes, na verdade, não deveriam é ter um dono. falomesmo.

katy disse...

oi darsh, adorei seu cantinho. vc tem razão quando diz que certos nomes deveriam ser esquecidos...

darsh. disse...

Anônimo, seu jeito de escrever parece muito com o de um amigo meu.
Hummmmmmmm

andre disse...

O Dicionário Latino Americano de Costumes e Expressões afirma que isso de nomes indesejados é um quadro cultural bastante representativo. Esquecendo as motivações psicológico-religiosas que causam tais reações, vamos citar alguns casos. Tem gente que costuma usar o subterfúgio de bater em madeira sólida, quando ouve um nome indesejado. No mundo moderno tal caso está cada vez mais difícil de ser levado a cabo, uma vez que se encontra progressivamente mais difícil de se encontrar madeira maciça. Há adaptações usando madeirit, no entanto.
Há quem sussurre "Inominável!", com um jeito assustado. Exemplo:
- Kelly Clarkson!
- Inominável!... - com a mão no peito e e olhando pra todos os lados, à procura da morte.
Mas eu acho que, no seu caso, o procedimento mais aconselhado é treinar pra acoplar ao nome do elemento algum sufixo útil e exepressivo. Exemplo:
- Kelly Clarkson...
- Filha-da-puta!
Deixa a alma leve, leve.
=D

Anônimo disse...

Certo, Darsh:
Fico feliz - de verdade - que eu pareça um AMIGO seu, mas - acredite - não sou.
Vi seu jeito irreverente em outro Blog e, aqui, notei seu modo mais -digamos - delicado.
Por enquanto (porque está tarde e estou alcoolizado), só posso dizer isso.
Amanhã entro em (melhores) contatos.

Anôn.

darsh. disse...

gente, eu sou irreverente?? amei...
mas nem lembro onde eu fui tudo isso hahahha

até mais anônimo,
tenha uma boa ressaca.

eu parei de beber por uns tempos.

Anônimo disse...

Darsh:

Claro que você TAMBÉM é irreverente...

Anôn.

J. F.r.a.n.c.o! disse...

Ah, a lua é algo realmente fascinante, e romantica! =D


BeijOs!

Moni disse...

a lua... ela traz influencia em nós, isso é o que eu acho... agora vc falou uma frase q é td: alguns nomes jamais deveriam ter ditos novamente, eu assino embaixo

Anônimo disse...

Nomes podem tornar-se coisas muito fortes - portanto, também coisas muito fracas. (O problema é passar de um lado para o outro do travessão - e sair de parênteses problemáticos.)

Ass. Anôn.

P. S. O domínio da língua portuguesa pela Darsh é bastante apreciável. Parabéns.

Anônimo disse...

Por falar em ressacas...


GLODIABALIZAÇÃO


A convite do próprio sujeito
visitei o local
onde o demônio ergue um brinde
quando tem mais outra
das suas vitórias mundanas –
e era um bar específico
do Espírito Santo
só porque faz bom tempo
aqui é o estado
que contém o bairro em que moro.
(Um amigo meu irlandês
que fala comigo na internet
sobre o IRA e o Finnegans wake
por exemplo
toma os seus porres com o demo
num pub dublinense.)
Por nenhuma coincidência
aquele boteco em especial
é mesmo
o meu predileto:
encontro ali amizades,
gente hostil,
surtados gentis ou perigosos,
além de algumas bonecas
às vezes com quase tudo isto
misturado.
Um dia,
também a convite
do surpreendente sujeito,
com certeza visitarei o lugar
em que o dito trabalha.
Ele não me deu data
nem endereço,
mas não me espantarei
se este último
vier a ser um local
que eu igualmente conheça bem.
(Outro amigo,
um paulista que hoje labuta
na Bolsa de Valores,
vê no capeta
“um dos colegas mais capazes,
puta profissional”,
nas suas palavras superlativas.
Um terceiro,
de uma ONG ecológica,
muito menos tem papas nos elogios
que dirige ao nosso personagem.)

“Enfim,
por ora estamos aqui,
meu caro:
de novo um discreto
tintim
para a alegria de tímpanos
e paladares
muito refinados.
Mas ah, mais cuidado...
Desastre:
você acabou de manchar outra vez
a sua camisa branca,
logo aquela
que uma das minhas
melhores companheiras
lhe deu de presente,
Lino!”



Ass. Anônimo – ou Lino mesmo, obviamente.

Shelha disse...

Não acredito muito na lua...
anyway... finja surder quando escutar esse nomes.

É o melhor que eu posso dizer, não si bem extamente porque, mas parece que esse assunto é o teu verdadeiro carma.

*seu pedido já está pronto

bjuss

Luana Dalla disse...

"Tem muito tempo já que não o vejo, mas ainda assim a menção do seu nome faz uma dor muito profunda surgir, e eu simplesmente não consigo controlar. "


ai como eu sei o que é isso =/

Naila disse...

Adoro seus textos, Darshany =)

Aline Dias disse...

é o eme?

Aline Dias disse...

Darshita. Escreve assim no alto do blog.
Queridos especuladores
o M não é o Moura
o Moura seria R
Com seu cabo de vassoura.

Anônimo disse...

Darsh:

Você também tem TOC?
Agora entendo certas gozações suas que andei vendo...

Anônimo disse...

E se também tem TOC, pode tocar nesta mão, comprimentando-a, irmã!

disse...

Talvez a gente deva tentar se acostumar... apesar de que acho que alguns nomes realmente não deveriam ser ditos novamente!

Eu quis dizer blog, erros de digitação HUEHUEHEUHU

Aline Dias disse...

Meu amor de caixinha e sem coração, hoje eu comprei raid tampa preta e me lembrei de você.

além disso, te dei um meme.
passa lá nas gota.

Tatiana Maisan disse...

Simplismente adoreeeei seu blog!
beijos;*

Fabiana Celso disse...

gostei do texto, e do blog :*