terça-feira, 6 de novembro de 2007

Nem tudo são flores.

Desci do ônibus correndo, apertada para ir ao banheiro. Dei uma passada rápida na caixa de correio, e vejo que a conta telefônica chegou. Minha bexiga aperta mais, ando mais depressa, e na portaria do meu prédio me deparo com um passarinho caído. Aperto os olhos para enxergar melhor e vejo que está morto. Lembro do meu passarinho que está em casa, fico com vontade de chorar. Mas a vontade de fazer xixi é maior, então subo as escadas rapidamente e largo meus cadernos de qualquer modo no sofá. Que alívio. Que grande alívio. Abro a conta de telefone em seguida, e me assusto. Eu odeio quando as contas telefônicas vêm absurdamente altas, apesar de não ser eu quem paga e não ser culpa minha, pois nem uso direito. Mas fico triste porque é meu pai quem paga, e me deixa angustiada o fato de ele se matar de trabalhar para pagar coisas que deveriam ser mais baratas, economizadas.


Acho que os relacionamentos deveriam ser que nem quando fazemos xixi depois de ficar muito tempo "segurando". E não como pegamos uma conta de telefone excedendo os limites, ou quando vemos um animalzinho caído morto. Eu tenho pensado nisso nos últimos dias, por causa de duas amigas de quem gosto muito. A primeira fica com um cara há alguns meses, mas eles não têm um relacionamento sério, assumido. Esse cara vem deixando-a constantemente triste, privando-a de fazer as coisas que ela gosta com chantagens emocionais, fazendo-a se sentir culpada por estar feliz. Ele prega que quando duas pessoas se gostam devem passar qualquer tempo livre juntos, e fazer isso a maior parte do tempo. Grudar. Dois em um. Dane-se o resto. Eu me pergunto: como assim??? Onde estará a individualidade essencial para todo ser humano? Ou eu sou a única a pensar assim? A pensar que apesar do amor, ou seja lá o sentimento que nutre alguma relação, cada um tem que ter o seu tempo, os seus programas individuais, preservar seus hábitos e amigos? Que em um sábado a noite você pode muito bem passar assistindo filme com sua melhor amiga do que com o cara que você gosta, e apesar disso estará tudo bem, porque sentirão saudades, e matarão saudades em outro dia? Será que pareço insensível ao pensar assim? Não é uma questão de romantismo, e sim de bom senso... Acredito que nada dá certo assim. Você pode agüentar um ano, até dois, como já aconteceu comigo. Dois anos vendo o namorado todos os dias na escola, em todos os intervalos (neles estão inclusas as aulas matadas, obviamente). Mas rotina acaba com qualquer coisa. É saudável cada um ter sua vidinha. Mamãe diz que nunca poderei casar desse jeito. Ela é meio pessimista em relação a isso e, sinto muito mãe, não posso melhorar essa imagem pra você. Simplesmente não sei. Não penso muito nesse futuro tão longe. Mas no presente eu quero continuar assim. Com minha individualidade intacta.

A segunda amiga disse que quer muito ter um piercing na língua. Mas o namorado não aceita.Eu colocava e, só de raiva, chegava mostrando a língua para ele na melhor expressão irônica possível. Mulheres que tanto lutam por direitos iguais e tudo o mais, se submetendo a desejos de uma pessoa que você nem sabe se estará contigo daqui uma semana, quem dirá um mês. Digo isso por experiência própria. Porque ter alguém ao seu lado é com o simples propósito de se sentir bem, e feliz, ou aliviada como ao fazer xixi. E não angustiada e preocupada se você sem querer arrotou tomando coca cola na frente do namorado. Ah, cara, arrotar é bom demais!

8 comentários:

Flávia disse...

Concordo! Sua m�e est� errada Shane, e vc n�o est� sendo individualista, voc� est� sendo sensata! Afinal, s�o incont�veis os relacionamentos que acabam por causa da falta desse espa�o. Mas mta gente tem que quebrar a cara pra aprender n�. Deixa a vida.. =]

bjo shaneee ;* gosto cada vez mais das coisas que vc escreve.

[e boto f� de arrotar, peidar, palitar os dentes, etc na frente, (e se puder, junto) do namorado auhauhauhau tenho uma amiga q faz isso e � mto feliz] ^^

Marília disse...

Comparar relacionamento com um alivio ao fazer xixi eh oteeeeeemo!!
Hahahaha
Muito legal...
Se eu fosse sua amiga eu furava meesmo, ja dizia a musica
`Nao se reprima, nao se reprima`.

E individualidades preservadas, sempre neh?

Beijos menina do reino!

imago♠ disse...

oi !! primeira vez passando por aqui !!
1) contas de telefone são foda mesmo !!!
2) já diria bob marley.. "a maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de ama-la" !!
3) piercing na lingua é bom demais !! pena que não tive coragem de botar !!

André Fantin disse...

ai minha bexiga ^^


arrote e beije :D

Josmar disse...

Em primeiro lugar, comecemos pelo final. Esse negócio de "mostrava a lingua com prazer" é uma pequena babaquice shany, sabe pq? porque pessoas que se sentem repreendidas pelo "parceiro" e o contrariam "só de raiva" caem no erro de nem querer realmente o fato, mais do que quer a pessoa. Você entenderia se o pircing é mais importante depois de levar um enorme chute dolorido na bunda. E culparia o cara por se sentir ofendido com a falta de consideração. Conselho meu: termine antes, e nunca faça coisas visando contrariar. Simplesmente pq isso é uma merda.

"Não é uma questão de romantismo, e sim de bom senso..." Bom senso sim, individualidade é NATURAL do ser humano. Nossos estudos, nosso trabalho, nossas conquistas pessoais, os amigos antigos que agora são esporádicos. Tudo isso pode bater de frente com o "parceiro" e deve ser feito assim mesmo. Tempo para si, sempre.
Mas eu pergunto: Será que eu do esse tempo pra minha namorada? Será que você é do tipo que provê esse tempo pra que, está contigo? Tenho amigas que falaavm demais sobre essa questão, mas tinha uma visão tão racional-televisão da coisa que esquecia o emocional-prático. Não tinha embasamento nenhum pra discutir sobre.

Vai saber se você tem, ou se eu tenho (embasamento). Namorar trilhões de vezes com mil pessoas, te dá histórias e números pra contar, mas não há certeza do ganho da experiência prática.

Observe bem se você provê esse espaço, se o rapaz tem seu tempo livre pra cuidar dos ses assuntos, sem você enxer o saco com isso. Observe se ele não tem aberto mão dos seus amigos, e principalmente se você não está sendo chata obrigando-o a não abrir mão.

Resumindo, vamos nos observar.
E saber diferenciar, oque é da nossa conta, e oque não é.

Josmar disse...

Parei pra pensar agora sobre o passáro morto, e a vontade de fazer xixi.

Talvez muitos relacionamentos no mundo sejam uma vontade de fazer xixi, nem por isso são bons.

Muitos relacionamentos existem, muitos conicidem e muitos não.

Eu simplesmente axo que a forma de relacionarmos não tem nada haver com "como os relacionamentos são", e sim como agente é.

Bejos.

bia de barros disse...

Gostei do eu-lírico.
Se cansa com pessoas normais, é psicopata (no bom sentido, de louca ao extremo) e me faria sorrir.

bom passar por aqui, garotinha.
arrivedeti!
*;

bia de barros disse...

viva o arroto, o xixi e os namoros que se prendem pela liberdade...

*linda vc*, esquece sua mãe =p

***=
(L)