sábado, 25 de julho de 2009

Tarde de sábado.

Digitou algumas palavras soltas, esperando que talvez elas fizessem algum sentido. No fundo, não sabia o que escrever. A xícara de café já estava vazia, e o lábio cortado por um pedaço de casca de pão francês latejava. Não importa, ela não usaria seus lábios tão cedo.

Não queria saber de mais nada, apenas criar uma história. Mesmo que não tivesse um começo ou um fim. Qualquer coisa que a fizesse pensar numa realidade que não fosse a sua. Fuga. É confortável pensar numa vida que não é a sua - ou pode até ser a sua, mas irreal. Entendem?

De repente uma luz veio, algo que deve ser comum entre os escritores. Não que ela fosse uma escritora, longe disso. Bem longe disso. Mas já que era para ter uma realidade paralela, que ela fosse uma escritora então. E seus dedos digitavam cada vez mais rápido, e a história sem sentido, sem começo e sem fim tomava conta da tela.

Parou. Seu estômago doía pela falta de alimento consistente. Não é saudável tomar café durante uma tarde inteira sem comer nada - o pão francês não contava. Ao fundo, misturado ao silêncio, ouvia a voz firme e a melodia marcante de Alanis Morissette. Acho que sou feliz, pensou. Mas não tinha certeza, como sempre.

32 comentários:

Shelha disse...

Bom, não posso dizer que você com certeza é ou não feliz, mas com certeza me fez hoje.

E o melhor sabe o que é?

Desde que começamos a conversar Stephen não me deixa em paz, o que não é novidade, mas agora ele está falando comigo, então eu posso finalmente escrever.

como você pode, se deixar que as palavras levem você, não seus olhos, nem suas mãos.

só cerebro, palpitações e muita, muita palavra.

*não me esqueça, nem a camila. fui

Malaguetta disse...

"e o lábio cortado por um pedaço de casca de pão francês latejava. Não importa, ela não usaria seus lábios tão cedo." adorei essa parte ;x
muito bom o post

Jéssica V. Amâncio disse...

entendooo, entendo perfeitamente.
muito bom!
é assim que nos sentimos (ou pelo menos eu me sinto) na maioria dos dias, tentando criar uma realidade paralela sempre, mesmo que seja por um breve momento, já que a realidade sempre me bate a porta no melhor momento de minhas fantasias.

Fabi Celso disse...

"e o lábio cortado por um pedaço de casca de pão francês latejava. Não importa, ela não usaria seus lábios tão cedo." adorei essa parte [2]

lindo o post.
ué, seja feliz!
beijoos, :*

Brunadovinil disse...

É incrível como as pessoas, mesmo com as distâncias, se conectam com um mesmo sentimento através das palavras.


Esse sábado está difícil.

Thê,Gii e Cami disse...

Uau *-* mal começo à seguir seu blog e já me impressiono com suas palavras! vc escreve muuito bem! :)

Beijos, Gi.

Thê,Gii e Cami disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thais Motta disse...

' Mas não tinha certeza' , assim como não tinha certeza se era uma escritora ! rs
Em alguns momentos , é bom dá uma fugida da realidade , mesmo que continuemos com os pés no chão . é importante criar uma maneira de fugir desse mundo .

Gostei das tuas escritas .

katy disse...

ontem (25/07) foi dia do escritor e vc provou aqui, mais uma vez, que merece os parabéns, por ser uma escritora de verdade!!! continue buscando histórias... bjss

Larissa. disse...

Muito bom o conto, já me senti assim às vezes...
Parabéns, vc tem muito talento.

bjs
;*

Hiorrana disse...

Sempre percebo que sou feliz, ou acho que sou, quando faço alguma coisa simples.

Como escrever e tomar café.
No meu caso café com leite.

bjooo e adorável seu texto.

Sam disse...

Escrever me dá uma sensação de paz, me faz esquecer do mundo. Uma sensação de falsa felicidade, talvez.

Escrever sobre outras pessoas é realmente muito bom.

Beijos!

Flá. disse...

Minha tarde de sábado foi um pouco mais dramática que essa descrita. Mas gostei muito do que vc escreveu!

:*

Aline Dias disse...

saudade dessa acidez doce de molho de tomate, marmota.

E sobre vc aceitar o desasfio: IUPI!

Paz... disse...

ii qdo começa com ACHO...

prepare-se, qdo se formar as perguntas incomodará mais ainda.

Bianca disse...

Acho que a busca pela felicidade é algo eterno, se bem que as vezes acredito que ela também poderia ser eterna e oculta, o que seria bem contraditório.

Café é viciante. :)

Beijos

Tatiana Maisan disse...

É, as vezes precisamos criar uma realidade paralela pra esquecermos essa nossa tão cruel e doentia.

"...Nos deram espelhos e vimos um mundo doente."

Adoro o blog. Ah, não sei se lembra de mim... bem, vim dizer que estou de volta. E muito feliz por isso. Saudades desse mundinho, dessa casinha chamada blog. Tão acolhedora e revigorante. Onde posso ser eu mesma e dizer o que penso.
Beijos mil:*

Moni disse...

eu já me senti assim algumas vezes, será normal? beijos

Varda disse...

lol,como ela se cortou com o pão?
o.O

;*

Maria Rita disse...

uau, você escreve muuito bem mesmo *-*
ah, eu entendo. mesmo com tudo a nossa volta estranho, e sem alimentar, às vezes tudo o que as pessoas precisam é escrever uma história... seilá, como se fosse uma valvula de escape. (:X)
e quanto a felicidade, não posso afirmar nada, mas acho que felicidade é algo que não é 100%, mas todo mundo deve ter, pelo menos um pouco.

aaah, sim sim! aquele cara é o mesmo que fez Angel, adoro ele *-*
valeu por passar lá no blog, beijão!

Stephanie Pereira disse...

eu as vezes acho q sou feliz tambem.. mas nao lembro de um dia que foi assim "sou feliz com certeza.."q triste isso.. mas sei lá cara....

Felipe Lucchesi disse...

Acho que já começa a ser feliz(caso não seja) pelo simples fato de descrever de forma admirável a sua "falta de felicidade".

Taiina* disse...

Tenho tudo pra ser feliz, mas as vezes sou tão triste!

É, acho que entendo! rs

beijos

~*rafasonehara disse...

Ameiiiiii o texto..
e realmente não faz bem tomar café o dia inteiro com a barriga vazia
experiencia propriaa AUISHIASU
Beijoos
:*

YullyAngel. disse...

Tambem nao sei se sou feliz...
oO
rs

Adorei o texto...

Thê,Gii e Cami disse...

Você faz jus a tantos seguidores. Meus parabéns! E claro, boa sorte com a nossa felicidade.

Thê *:

bia de barros disse...

É que você pode ser mais, sempre mais feliz, sempre melhor escritora, sempre melhor melhor amiga, enfim - deve ser triste não ter mais pra onde melhorar...

Te amo por inteira,
Amo seus defeitos.

:)

rootsonE disse...

interessante, como uma boa incógnita!

Crispi. disse...

Parece um tanto comigo. Inclusive a parte de cortar o lábio com a casca do pão, e passar a tarde regada a café.
Bom, muito bom.
beijos

Vanessa. disse...

Doce ilusão. Uma vida que não seja a minha.


Beijo
:*

Shelha disse...

nunca tinha percebido que eles eram vizinhos.
e olha que eu nunca morei no quinto andar.

Thiara Pagani disse...

É sempre bom passar aqui.
Aquela sensação d ese rcompreendida e de ser confortada.
É ...É confortavel pensar uma vida que não é nossa.