terça-feira, 23 de setembro de 2008

Cheiro de vó é tudo igual.

Ou quase. Os cheiros das avós estão divididos em avó materna e avó paterna. Exatamente assim. Parece que as maternas possuem um perfume mais requintado, e as paternas têm aquele perfume mais barato, mas igualmente gostoso, que você tem vontade de abraçar e não largar mais.

Eu só tenho minha avó paterna. Quando a vejo, sempre fico pensando quantas vezes mais vou vê-la. Eu a abraço, e se pudesse ficava assim, em seu colo - se ela me agüentasse - sentindo o cheiro do seu perfume barato em seu pescoço. Mas eu sempre tenho que abraçar rápido, por que tem uma fila querendo fazer a mesma coisa. Então eu me sento, esperando o almoço sair, esperando aquela super salada e macarronada que ela faz quando eu vou lá. E depois ela sempre vem me perguntar: "E os namoradinhos Dada?". Eu odeio esse apelido, mas eu deixo minha avó me chamar. Ela pode. "Ai vó...", eu respondo. E ela dá aquela gargalhada gostosa.

Minha avó materna morreu quando eu tinha 10 anos. Ela era minha madrinha, e até hoje eu me lembro do dia que ela se foi. Me lembro de vários momentos com ela, era sempre engraçado. Lembro do batom vermelho que ela usava, das músicas que ouvia. E daquele dia em que eu dormi na casa dela e ela me deixou assistir à Xica da Silva - meu pai não deixava. Eu falei com ela no dia em que morreu. Ela ligou para cá alguns minutos antes, eu atendi. Perguntou como eu estava, como tinha sido o fim de semana. Depois passei o telefone para a minha mãe, e alguns minutos depois a ligação caiu. Minha mãe diz que minha avó estava pedindo desculpas pelos erros do passado, essas coisas. Ela sabia que ia morrer, e eu me sinto feliz por ter tido a oportunidade de escutar sua voz uma última vez.

Desde então eu criei uma paranóia de ficar me perguntando: será que essa é a última vez? Ontem aconteceu de novo. Eu estava na fila da xerox, esperando minha vez de ser atendida. Havia uma senhora do meu lado, muito parecida com minha avó materna. O jeito de se vestir, o batom vermelho, a bolsinha de moedas e... o perfume. Idêntico. Eu fiquei olhando para ela, e me deu uma saudade tão grande, e eu fiquei lembrando da última vez que falei com minha avó. Um pouco mais tarde, quando saí da aula às 22h, percebi que minha mãe ainda não tinha me ligado para saber se estava tudo bem, nem meu pai para combinar de me buscar, ou me pegar no terminal. Deu 22:30h, eu estava no terminal subindo no ônibus que vinha para a minha casa, e nenhum dos dois tinham ligado ainda. A primeira coisa que veio na minha cabeça foi: pronto, meu pai infartou de novo, ou morreu, e minha mãe não teve coragem de me contar. Comecei a chorar, pensando que eu nem tinha visto meu pai durante o dia inteiro, e que a última coisa que ele tinha dito era: shany, tem dinheiro para almoçar e lanchar? Quando o choro embaçou minha vista pela lente do óculos, o celular toca: Conseguiu pegar o ônibus de 22:30h? Se não, seu pai te pega aí. Comecei a rir.

Sei que pareço ser pessimista, mas eu não consigo evitar. Acho que é medo de perder quem eu amo. Já estou acostumada. O que o cheiro de vó não faz...

25 comentários:

Thiara Pagani disse...

Ai... Cheiro de Vó.
Infelizmente não conheci a minha avó materna, ela faleceu quando minha mãe tinha uns 3 anos.
Mas o cheiro da paterna... Ainda é vivo, mesmo ela não estando mais aqui.
Sei como é esse sensação, não é pessimismo é medo de perder alguém que a gente ama mesmo.
Pensei que eu fosse a unica pessoa que tinha essas coisas!

Talita disse...

Aain.Isso me lembrou de um mau momento pelo qual estou passando.
E também me çembrou da minha avó paterna,que morreu um pouco antes de eu nescer.Mas eu juro que eu sinto saudade...
;*

Flá. disse...

Nossa, eu às vezes tenho essa paranóia também. Agora só tenho minha avó materna, e toda vez que vejo ela faço mta questão de abraçar bastante e tratar com carinho, porque poderá ser a última vez..que coisa.

E saindo da aula às 22h? Só ufes mesmo... Oo

bjo shane sumida :*

Flá. disse...

ah! e pq toda avó pergunta de namorado? auhaua minha avó é mais ríspida: "é, flávia, tá na hora de arrumar um namorado hein"

¬¬' "é, vó, eu sei." uhauau

Elcia disse...

q engraçado... segunda fera tava lembrando dela, q caso ela tivesse viva e tivesse morando aqui em JP o q eu iria visitá-la sempre.. q bom q tu tens tua avo paterna por pertopq eu.. perdi a minha avo paterna faz 10 anos e não vejo minha avo materna tem qse 10 anos tb...
saudade..
;***

Diego Martins disse...

Shanyponto! SAUDADE DE VC. =)

Cheiro de vó, nossa... sabe, qdo comecei a ler seu texto minha vista embassou aqui... saudade de um tempo que não volta e como as lembranças ficam tão vivas dentro da gente, cores, cheiros, sorrisos...

deu saudade.
Ainda tenho uma avô e sinto falta dela, do carinho e da preocupação.. coisa que só vó sente ou entende...

inexplicavel.

bejO!! E LONDRES É LINDA!!!! =)

LindaRê disse...

Vc só achou tudo isso porque ficou sensibilizada.
Nada mais normal de se sentir quando já perdeu alguém que ama.

Beijos

Carolina disse...

nao conheci meus avôs e das minhas avós, só conheci a materna e só passei 3 meses perto dela. nunca soube de verdade o que é ter uma avó e conviver de verdade com ela, e as vezes eu sinto falta disso..

bia de barros disse...

gnt, hj é dia de vó? falamos mt em vovozinhas no meu trabalho hj, por conta de uns biscoitinhos caseiros que apareceram por lá...

mts cheiros de vó pra vc.
*=
[ps: respondi tua question lá no blog x)

Lívia Vasconcelos disse...

eu vou dizer de novo, tá? : ME FEZ CHORAR!
minhasavós morreram...uma eu nem conheci, a de minha mãe...
A de meu pai eu lembro e quando eu puxo na memória, tá láo rosto dela, na versadeo sorriso...eu sempre lembro. Ela tinha um cabelo bastante grisalho, enorme, era uma mistura mesmo de cinza com totalmente branco. Tina um rosto magro e eu achava que ela n gostava de mim, mas era pq eu era criança e minha capacidade de achar que o mundo conspira contra mim já se manifestava...enfim, éramos não tanto íntimas, eramos pessoas caladas e que se sentem na presença do outro. Isso basta pro sangue, hein?
aiiii, i got nothing to say. Bad week.

:*

ventilandre disse...

Eu sou anósmico e não sinto cheiro de avó. A não ser quando a materna se enche de talco, que aí não dá pra não notar. Mas eu gosto mesmo é de bochecha de avó, que parece de borracha. E da parte de trás do braço também.
Eu dou sorte, que minhas duas avó estão vivas, e uma ainda mora aqui em casa, pra fazer rabanada. Mas, em compensação, os dois avôs já morreram. Mas morreram já velhinhos, depois de terem feito o suficiente e visto os netos crescerem. E pode ter certeza de que ainda vão dizer isso, meu avô me viu nascer, pro seu pai também, um dia. E que ele ainda vai comprar brinquedo mais caro do que você acha que ele pode pagar pros netos, e te falar que eles merecem, quando você reclamar que ele dá muito doce pros meninos.
Muito tempo ainda falta.
=]

Cyntia Taborda ") disse...

Eiii flor ;)
vc eh aki do es nee??qual cidade??

;*

instantes e momentos disse...

vindo conhecer teu blog, muito bom tudo aqui. Parabens belissimo post
Maurizio

Izaias Faria Buson disse...

hauhuahuah
desculpa shanyy
mas eu colei com fita
adesiva e fico bunitim =DD

Lari Bernardi disse...

Nossaaa... que saudades das minhas vó's.

é exatamente como tu falou... o perfume da vó paterna é mais doce, e o da vó materna é mais requintado.

Eu evito pensar em perder meus pais... não consigo me imaginar sem eles... sem poder telefonar e dizer "Mãe, me ajudaa!!" :/

;*

Mariana Anselmo disse...

e depois dizem que o crime não compensa... aiai..
..rs

ahh.. cheir d evó é bom, mas dcheiro de vô tbm é! eu amo, ou pelo menos amava =/

Cruela disse...

para mim as avós tem cheiro de pote de biscoito. Mas não biscoitos comuns, mas daqueles que você pode comer sempre que quer.

Liquificadorizando disse...

Cheiro de vó, é igual cheiro de criança. Bom de mais! Desde que ela goste de tomar banho, rs A minha gosta, ;)

Beijos

Obrigada pela visita!

Alexandra Periard
http://alexandraperiard.blogspot.com/

Mariáh Schäfer disse...

nossa que lindo esse texto :')
eu ainda tenho minhas duas avós, nunca perdi ninguem ainda.. e tenho medo de perder, e sou pessimista assim como voce, acho que por um lado é bom, pois aproveitamos como se fossem os ultimos min...

beijinhos ;*

Marília disse...

Meu Deus. Como eu sou parecida como você...
Tem dias que eu choro por esse mesmo medo.

Que estranho.

Quanto ao meu texto...é...confuso mesmo.Nem eu entendi direito! rs

Beijos.

Vitor Graize disse...

nossas avós estão se acabando antes que aproveitemos tudo que elas são. assistiu persépolis? vó tem cheiro de jasmin.

;) disse...

é verdade, cheiro de vó paterna é mais barato meeesmo
^^
E vc me fez lembrar do meu avô, na verdade tenho pensado muito nele ultimamente, nos abraços, nas conversas. Saudade.

E esse pessimismo não é tão ruim, pelo menos vc consegue aproveitar mais cada momento com as pessoas que ama. Eu precisava ser mais assim.

Beeijos
;*

Nina Fernandes disse...

Eu tenho saudade das minhas avós.
Minha avó materna morreu quando eu tinha uns 9 anos.
Mas apesar da minha avó paterna ainda estar viva, tenho mais lembranças da monha vó materna.
Eu vivia na casa dela.
Todo fim de semana sem querer a casa dela virava local de festa.
Minha vó paterna mora em outra cidade, sempre tive menos contato.
E agora ela esta velhinha o com "Alzaimer", ou seja, ela nem lembra quem eu sou.
E tem dificuldade pra falar.
Então, so me resta lembranças.

Monique Ludmila. disse...

shanyyy
:*
cheiro de vó... saudade me remete.

(ahahaha vc tá lendo princesa mia, eu li há uns dois meses atrás... achei q só eu na face da terra dentre pessoas com mais de 18 anos lia a série da princesa.. hahahahaha adoray)!

Elaine Dal Gobbo disse...

Caramba! Muito comovente essa história do telefonema da sua vó.